Oradores

Alexandre Quintanilha

Alexandre Quintanilha completou os estudos secundários em Lourenço Marques, tendo prosseguido os estudos universitários na África do Sul.
Licenciado em Física Teórica em 1968 na Universidade de Witwatersrand, em Joanesburgo, e doutorado em Física do Estado Sólido em 1972, pela mesma universidade.
Trabalhou durante vários anos na Universidade da Califórnia, Berkeley, nos Estados Unidos, onde foi diretor do Centro de Estudos Ambientais, tendo desenvolvido investigação nessa área. Entre 1983 e 1990, foi diretor assistente no Laboratório Nacional Lawrence, secção de Energia e Ambiente, e, entre 1987 e 1990, desempenhou o cargo de diretor do Centro de Estudo de Tecnologia da Biosfera.
Em 1991 foi nomeado diretor do Centro de Citologia Experimental e professor no Instituto de Ciências Biomédicas Abel Salazar (ICBAS), da Universidade do Porto. É professor catedrático do ICBAS, diretor do Centro de Citologia Experimental e coordenador do Instituto de Biologia Molecular e Celular, também no Porto.
Publicou perto de 100 artigos em várias revistas científicas de nível mundial, foi editor e autor de seis volumes em áreas da Biologia e Ambiente, foi consultor redatorial da Enciclopédia de Física Aplicada e escreveu dezenas de artigos e relatórios em livros, revistas e jornais de divulgação, sendo ainda coordenador e autor de vários trabalhos nas áreas da Biologia, do Ambiente e da Física Aplicada. A 17 de Março de 1993 foi feito Grande-Oficial da Ordem Militar de Sant'Iago da Espada.
Após a reforma Alexandre Quintanilha entrou na vida política e foi eleito deputado exercendo agora o cargo de Presidente Comissão de Educação e Ciência.

Licínio C. Lima

 Licínio Lima é professor catedrático do Departamento de Ciências Sociais da Educação, do Instituto de Educação da Universidade do Minho, tendo sido diretor de Departamento (1991-2005) e tendo dirigido a Unidade de Educação de Adultos (1984-2004), o Centro de Investigação em Educação e Psicologia (1994-1997) e o Curso de Mestrado em Educação (2003-2006). Atualmente é diretor do Doutoramento em Ciências da Educação e coordenador do Curso de Mestrado na área de especialização em Administração Educacional. Foi professor convidado em várias universidades estrangeiras. É autor, coautor e editor de uma centena e meia de obras, incluindo mais de trinta livros, publicadas em treze países e em seis distintas línguas.

David Rodrigues

Professor de Educação Especial, ingressou como docente na Universidade Técnica de Lisboa. Doutorou-se em 1987 com uma investigação que sobre crianças com Paralisia Cerebral e obteve o título de “Agregado” na mesma Universidade em 1999. Coordenou o Pólo do Projeto Minerva da Universidade Técnica (1986/1993), sobre modelos de intervenção pedagógica usando as Tecnologias Digitais para alunos com diversas condições de deficiência. Coordenou o Mestrado em Educação Especial (criado em 1991) e o Curso de Terapias Expressivas – Musicoterapia e Dança Terapia (1999), na Faculdade de Motricidade Humana primeiros cursos com esta temática em universidades portuguesas. Desempenhou na Universidade vários cargos entre os quais Diretor de Departamento, Membro do Grupo de Planeamento Estratégico, Presidente do Conselho Pedagógico, Presidente da Assembleia de Representantes e Membro do Senado. Lecionou em várias universidades portuguesas (Porto, Coimbra, Lisboa, Açores) e estrangeiras  (KUL -Bélgica, UNICAMP, UEDESC  e UFES -Brasil) entre outras. Realizou um pós-doutoramento na Virginia State University (EUA).  Orientou diversas teses de doutoramento e várias dezenas de teses de Mestrado. Realizou, por convite, conferências em universidades estrangeiras, congressos internacionais, iniciativas da UNESCO e da Handicap International, nomeadamente em Espanha, França, Reino Unido, Itália, Rússia, Lituânia, Ucrânia, Brasil, Colômbia e Cabo Verde. Representou Portugal em vários Projetos Europeus nomeadamente “Helios II” e Tempus (na Ucrânia, Lituânia e Rússia). Foi vice-presidente para a Europa da Sociedade Internacional para Estudos da Criança. É membro do grupo de peritos sobre os direitos das pessoas com deficiência junto do Conselho da Europa. É autor / organizador de 25 livros publicados em Portugal, Brasil e Alemanha e publicou cerca de 100 artigos em revistas da especialidade. Pertence ao Conselho Editorial de 12 revistas científicas de Portugal, Brasil, Espanha, França e Reino Unido. É fundador e coodenador do Fórum de Estudos de Educação Inclusiva (membro da “Inclusion International”), Presidente da Pró-Inclusão -Associação Nacional de Docentes de Educação Especial (membro da EASPD) e fundador e diretor da Revista “Educação Inclusiva”. É membro do Centro de Investigação em Educação do Instituto de Educação da Universidade de Lisboa, conferencista convidado na École Supérieure de l’Éducation Nationale (França). Integra equipas da Agência de Avaliação e Acreditação do Ensino Superior. É sócio honorário da Sociedade Brasileira de Atividade Motora Adaptada. Embaixador Paralímpico (Pequim, 2008). Recebeu em 2007 o Prémio Internacional de Investigação “União Latina”. Em 2013 recebeu a Medalha de Mérito da Pró – Inclusão – ANDEE. 

 

Teresa Calçada 

Maria Teresa Carmo Soares Calçada foi aluna da Faculdade de Letras da Universidade de Lisboa, onde concluiu a Licenciatura em Filosofia durante os anos 80.
Técnica do Instituto Português do Livro entre 1982 e 2007, nesse âmbito, e em 1986, integra o grupo de trabalho que definiu os princípios da política nacional da leitura pública, de onde surgiu o conceito da criação de uma Rede de Bibliotecas Municipais. Até 1996, foi também Vice-Presidente do Instituto da Biblioteca Nacional e do Livro sendo responsável pelas atividades levadas a cabo dentro da Rede Nacional da Leitura Pública.
1996 é marcado pelo início de um novo desafio na carreira, o Programa Rede de Bibliotecas Escolares, sendo este o ano em que integra o grupo responsável pela definição das bases e normas desse mesmo programa, na condição de coordenadora. O programa visava, acima de tudo, incentivar e facilitar o acesso à leitura nas escolas, através da instalação de bibliotecas escolares em escolas de todos os níveis de ensino, equipadas com os devidos suportes de multimédia, disponibilizando aos utilizadores os recursos necessários à leitura. Em colaboração entre os Ministérios da Educação e da Cultura, juntamente com o apoio das autarquias, a Rede de Bibliotecas Escolares é, então, lançada. Na condição de coordenadora do Programa Rede de Bibliotecas Escolares, Teresa Calçada ajudou a transformar e a dinamizar o conceito de Biblioteca, tornando-a num importante espaço de leitura, de investigação e formação, para além de lutar ativamente pela formalização legal das funções do professor-bibliotecário, uma categoria profissional que Portugal desconhecia e de que foi pioneira.
Exerceu este cargo até dezembro de 2013, mas não sem antes deixar pronto um plano estratégico para 2014-2020. Foi também até este ano que exerceu funções como Comissária Adjunta do Plano Nacional de Leitura, colaborando na elaboração dos planos de leitura para as escolas, participando ainda em diversas conferências e eventos para a divulgação e enriquecimento da leitura e das bibliotecas em Portugal. Devido à sua dedicação pela leitura e pedagogia livresca é, por vezes, referida como “fazedora de Bibliotecas, fazedora de leitores e fazedora de pessoas melhores”, descrição que lhe foi atribuída com graça e generosidade.
É dirigente da Associação Voluntários da Leitura, sendo também a Presidente da Mesa da Assembleia Geral da Associação Voluntários de Leitura. Como voluntária, Teresa Calçada desloca-se a escolas, de diferentes níveis de ensino, onde fala ao público infantojuvenil sobre o mundo da Leitura. Até 1996, ano em que Teresa Calçada iniciou o seu percurso pelas bibliotecas portuguesas, existiam 167 bibliotecas escolares. Hoje em dia, somam-se mais de 2400.
Atualmente desempenha o cargo de Comissária do Plano Nacional de Leitura 2027, por nomeação conjunta dos Ministérios da Educação e da Cultura, da Secretaria de Estado da Ciência, da Tecnologia e do Ensino Superior e ainda do Secretário de Estado das Autarquias Locais. 

Fernando Albuquerque Costa

Fernando Albuquerque Costa é doutorado em Ciências da Educação e licenciado em Psicologia pela Faculdade de Psicologia e de Ciências da Educação da Universidade de Lisboa, onde foi docente e investigador entre 1988 e 2009. A partir de 2010 exerce funções de Professor Auxiliar no Instituto de Educação da Universidade de Lisboa onde integra o Grupo de Investigação Educação, Tecnologia e Sociedade da Unidade de Investigação e Desenvolvimento em Educação e Formação. Tendo trabalhado desde o início da atividade académica na área do Currículo e da Avaliação, dedicou-se, a partir de meados dos anos 90, às questões mais diretamente relacionadas com a utilização das tecnologias digitais em contexto educativo. Integrou o Conselho Científico do Observatório do Plano Tecnológico da Educação, da Universidade Católica Portuguesa, e foi responsável pela criação e manutenção do Portal Aprender Com Tecnologias, um portal pioneiro dedicado, entre 2002 e 2009, às questões relacionadas com a utilização das TIC para fins educativos.
Coordenou a nível nacional diferentes projetos europeus nesta área, nomeadamente os projetos PEDACTICE (1997-2000), sobre avaliação de software multimédia educativo, IPETCCO (2001-2004), sobre inovação das práticas pedagógicas, DIGIFOLIO (2005-2008), sobre portefólios electrónicos e desenvolvimento profissional de professores, TACCLE2 (2011-2014), dedicado ao desenvolvimento de recursos e materiais de suporte à atividade dos professores para estímulo da aprendizagem com tecnologias. Para o Ministério da Educação de Portugal coordenou a equipa interuniversitária responsável pelo estudo sobre as Competências TIC de docentes e não docentes (2008/2009), a equipa de especialistas responsável pela elaboração das Metas de Aprendizagem na área das TIC (2010) e o Ensino a Distância para a Itinerância (2010-2013). Mais recentemente, coordenou o Projeto escol@digit@l (2012-2015), um projeto de investigação-ação com o propósito de compreender os processos de mudança em direção a uma escola do Século XXI. Informação mais detalhada sobre os seus projetos de investigação e de intervenção, bem como da sua produção científica nas suas áreas de investigação está acessível em http://aprendercom.org/comtic/.
Tem várias obras editadas e dezenas de artigos publicados sobre a problemática do ensino e da aprendizagem com tecnologias e da formação de professores nessa área. É diretor-adjunto e cofundador da Revista Educação, Formação e Tecnologias e integra os corpos editoriais de outras revistas científicas, como a Digital Education Review ou a E-Curriculum. Coordena o Curso de Mestrado em Educação, especialização em Educação e Tecnologias Digitais e é responsável por diferentes disciplinas relacionadas com tecnologias e aprendizagem na Licenciatura em Ciências da Educação e nos Cursos de Mestrado e de Doutoramento em Educação, na área das Tecnologias em Educação.
Presentemente coordena o Projeto LIDIA (Literacia Digital de Adultos), um projeto que nasce do Prémio atribuído pela Fundação para a Ciência e Tecnologia (Rede TIC e Sociedade) à proposta de extensão do trabalho desenvolvido no seio do Projeto TACCLE2. O prémio permitiu estender o trabalho realizado para formadores que trabalham com adultos e visando a inclusão digital destes últimos. Todos os recursos criados estão disponíveis em acesso aberto a partir da Biblioteca de Atividades Online (BAO).

Sandra Pratas Rodrigues
Investigadora do Instituto da Educação da Universidade de Lisboa, integra desde 2010 o grupo de investigação em Formação de Adultos do IEUL. Licenciada em Línguas e Literaturas Modernas, variante de Estudos Portugueses, pela Faculdade de Ciências Sociais e Humanas, da Universidade Nova de Lisboa (1995), é doutorada em Ciências da Educação, especialidade de Formação de Adultos (2016). Foi bolseira de investigação pela Fundação para a Ciência e Tecnologia entre 2011 e 2015.
O seu percurso profissional está ligado à Educação de Adultos desde 2000, tendo exercido funções na Agência Nacional de Educação e Formação de Adultos (ANEFA), na Direção Geral de Formação Vocacional (DGFV) e no Instituto do Emprego e Formação Profissional (IEFP). Colaborou no desenvolvimento e implementação dos Cursos de Educação e Formação de Adultos e dos Processos de Reconhecimento, Validação e Certificação de Competências. Colaborou com a Agência Nacional para a Qualificação (ANQ) na construção dos Referenciais de Competências-Chave dos Níveis Básico e Secundário e é autora de diversos documentos de apoio à operacionalização de Cursos EFA. É autora de vários artigos científicos e capítulos de livros na área da Educação de Adultos, da Formação Profissional Contínua e da Formação de Adultos em Contexto de Trabalho.

 

José Manuel Alho

Licenciado em Biologia pela Faculdade de Ciências e Tecnologia da Universidade de Coimbra, é especialista em Ciências do Ambiente pelo Instituto Politécnico de Leiria, Setúbal e Viseu, com formação avançada em Gestão Estratégica, Controlo de Gestão, Marketing e Comunicação e Gestão de Projetos, pelo IDEFE/ ISEG da Universidade Técnica de Lisboa.
Atualmente é Vogal do Conselho de Administração da Fundação INATEL.
Foi certificado no Curso de Divulgação do Património Histórico, Cultural e Natural para Professores promovido Centro Nacional de Cultura e é Formador Certificado para Formação Contínua de Professores e Formador Certificado pelo IEFP. Membro efetivo da Ordem dos Biólogos, pertenceu à sua Direção Nacional e ao seu Conselho Deontológico e Profissional. Desenvolveu atividade como dirigente em diversas áreas protegidas, presidiu ao Instituto de Promoção Ambiental, foi diretor regional de Florestas de Lisboa e Vale do Tejo e desenvolveu atividade docente nas suas áreas de especialidade nos Institutos Politécnicos de Leiria e Tomar como professor adjunto convidado, com atividade editorial neste domínio. Foi vice-presidente da Direção Nacional da Quercus e presidente da Direção Nacional da Liga para a Proteção da Natureza. Foi membro do Conselho de Administração da ADIRN - Associação de Desenvolvimento Integrado do Ribatejo Norte, do Conselho Diretivo da ADAE - Associação de Desenvolvimento da Alta Estremadura e da ADSAICA -Associação de Desenvolvimento das Serras de Aire e Candeeiros. Desempenhou os cargos autárquicos de vereador e vice-presidente da Câmara Municipal de Ourém e presidente dos Conselhos de Administração das empresas municipais Ambiourem, Centro de Negócios de Ourém e Ouremviva.

Maria de Fátima Claudino

Investigadora do Centro de História de Além-Mar da Faculdade de Ciências Sociais e Humanas da Universidade Nova de Lisboa e da Universidade dos Açores, desde novembro de 2011.
- Técnica Superior da Comissão Nacional da UNESCO / Ministério dos Negócios Estrangeiros, desde 1989. Áreas de responsabilidade: Educação e Escolas Associadas da UNESCO, Educação para o Desenvolvimento e Projeto Educativo Património Cultural Subaquático da UNESCO.
Graus Académicos
- Mestranda em Arqueologia na FCSH-UNL, com o projeto Forte de São Lourenço da Barra (de Olhão), Arqueologia e História de uma Fortificação Moderna, 2010 / 2012.
- Pós-graduada em Conservação e Reabilitação do Património Arquitetónico e Arqueológico, Universidade Autónoma de Lisboa, 2006 / 2008.
- Licenciada em História, Universidade Autónoma de Lisboa, 1988.
Domínio de especialização
- Arqueologia moderna
- Arqueologia subaquática
- Investigação para ação de formação em Cabo Verde e Moçambique, no âmbito do Projeto Educativo Património Cultural Subaquático UNESCO, com o apoio da UNESCO, da Comissão Nacional de Cabo Verde para a UNESCO e da Comissão Nacional de Moçambique para a UNESCO, 2011 / 2013.
- Prospeção arqueológica no Forte de São Lourenço da Barra, em Olhão, (Corresponsável), 2010 / 2012.
Publicações mais revelantes
- Património Cultural Subaquático UNESCO – Manual de Materiais Didáticos para Professores, Comissão Nacional da UNESCO, 2011.
- “Overview of the Transatlantic Project Activities in the Participating Countries – Portugal”, in Teaching the Transatlantic Slave Trade: Achievements, Challenges and Perspectives – Final Report of the Interregional online Consultation of the UNESCO Associated Schools / ASPnet, UNESCO, 2010.

Albertina Lima de Oliveira

Professora Auxiliar da Faculdade de Psicologia e de Ciências da Educação da Universidade de Coimbra, desde 2005. Licenciada em Psicologia e doutorada em Ciências da Educação com especialização em Educação Permanente e Formação de Adultos, leciona disciplinas sobre a educação e desenvolvimento de adultos e idosos, designadamente, “Educação e Formação de Adultos”, “Aprendizagem e Desenvolvimento Pessoal e Social do Adulto e Idoso”, “Conceção, Desenvolvimento e Avaliação de Programas Educativos para Adultos” e “Educação para o Mindfulness”
Como investigadora, coordenou a equipa da Universidade de Coimbra no âmbito do projeto europeu PALADIN (Promoting Active Learning and Aging of Disadvantage Seniors), financiado pela Comissão Europeia de 2009 a 2011. Tem diversos artigos e capítulos de livros publicados sobre a potenciação do bem-estar e qualidade de vida de adultos e idosos, bem como sobre o ensino superior. Atualmente é investigadora integrada no Centro de Estudos Interdisciplinares do Século XX (CEIS20) da Universidade de Coimbra.
Interesses de Investigação
Temáticas ligadas: 1) à promoção da autonomia, capacitação e bem-estar de adultos e idosos; 2) ao fomento do bem-estar e qualidade de vida através de abordagens e programas de mindfulness, 3) à promoção do envelhecimento ativo e saudável; 4) ao ensino-aprendizagem no contexto do ensino superior.
Maria da Luz Pessoa e Costa

Maria da Luz Pessoa e Costa

Nascida a 30 de Janeiro de 1964, nas Gaeiras-Óbidos, é casada e mãe de dois filhos, residindo em Lisboa.
Em 1987, obteve a licenciatura em Relações Internacionais, pela Universidade do Minho, com a classificação final de 15 valores, tendo, em 1990, concluído a Pós-Graduação em Estudos Europeus, na Faculdade de Direito de Lisboa.
Trabalha na Administração Pública há 30 anos. Na área do Emprego e Formação, trabalha há 18 anos, tendo desempenhado funções de direção no Centro de Emprego de Cascais (Março de 2003 a Setembro de 2006), como diretora do Centro de Reabilitação Profissional de Alcoitão (Setembro de 2006 a Novembro de 2012) e como Diretora do Centro de Emprego e Formação Profissional de Lisboa (Novembro de 2012 a Fevereiro de 2016).
Atualmente, desde março de 2016 é Coordenadora do Núcleo de Sistemas e Apoio à Gestão do Departamento de Formação Profissional do IEFP.
No âmbito das suas funções, tem desempenhado diversos cargos e representações do IEFP, no BIS - Banco de Inovação Social, na REDE SOCIAL DE LISBOA; no Projeto UAW - United At Work, aprovado no âmbito do Programa de Emprego e Inovação Social da EU; Júri dos projetos apresentados no âmbito do Programa de Empreendedorismo Intergeracional 2014, Conselheira Municipal de Educação de Lisboa, entre 2013 e 2016; desde abril de 2016, é perita da UE e representante do IEFP, IP no “ESCO – European Classification os Skills/Competences, Qualifications and Occupations”. Recentemente, foi nomeada representante do IEFP no Secretariado Técnico da iniciativa para as Competências Digitais INCoDe.2030.
Tem sido oradora em inúmeras palestras e seminários, em temáticas relacionadas com o Emprego e a Formação Profissional, nomeadamente oradora na Sessão IV – Governação Integrada e Desemprego de Longa Duração, da Conferência “Governação Integrada- a experiência internacional e desafios para Portugal”, FCG, Lisboa, 2015 participação, em representação do IEFP, IP, na “PES Network Conference on the implementation of the Youth Guarantee”, organizada pela UE, em Bruxelas, em Dezembro de 2015,  entre outros.

Henrique Gil

Concluiu em março de 2014 o Pós-Doutoramento em Política Social pelo Centro de Administração e Políticas Públicas do Instituto Superior de Ciências Sociais e Politicas da Universidade de Lisboa, relacionado com a utilização das TIC, e-Saúde e e-Governo Local, pelos cidadãos 65+ anos de idade do concelho de Castelo Branco. Possui o Doutoramento (PhD) pela School of Education da University of Exeter, no ano de 2001, na área de «IT in Education». É Mestre, desde 1994, em Ciências da Educação pela Universidade de Lisboa, na área de «Análise e Organização do Ensino». Obteve a sua Licenciatura, no ano de 1986, em Biologia – Ramo Educacional pela Universidade de Coimbra. A sua atividade, em termos de investigação, tem sido realizada no âmbito das tecnologias digitais, tendo publicado inúmeros artigos em congressos nacionais e internacionais, assim  como vários capítulos de livros e de revistas científicas. Ao longo da sua carreira tem também orientado investigações de mestrado relacionadas com a utilização das tecnologias digitais em contexto educativo, a utilização das tecnologias digitais para o incremento da qualidade de vida de idosos e de cidadãos com necessidades educativas especiais. Presentemente é investigador integrado do Centro de Administração e Políticas Públicas do Instituto Superior de Ciências Sociais e Politicas da Universidade de Lisboa e colaborador do Centro de Investigação do Instituto de Educação da Universidade de Lisboa. Pertence a várias instituições e organizações científicas e ao corpo redatorial de revistas internacionais e nacionais relacionadas com a utilização das tecnologias digitais. Tem também colaborado com a Universidade de Lisboa, com a Universidade da Beira Interior e com o Instituto Politécnico de Portalegre na realização de seminários e na docência ao nível de cursos de mestrado e de pós-graduações no que respeita à utilização das TIC como promotora do envelhecimento ativo. A sua colaboração com a USALBI (Universidade Sénior Albicastrense), na qualidade de docente da disciplina de «Cidadania Digital», tem permitido uma maior aproximação e consciencialização da problemática da infoexclusão dos cidadãos mais idosos no sentido de proporcionar espaços de intervenção que permitam levar a incrementar a sua inclusão social.

Lucília Salgado

Doutorada em C. da Ed. pela U. Nova Lx; formação de base em Economia e uma pós-licenciatura em Ciências de Educação na F. de Psic. e C. da Ed. da Univ. de Genève; Prof. Coord. da Escola S. de Ed. de Coimbra tendo sido Pres. do Cons. Pedagógico, Diretora da Licenciatura em Animação Socioeducativa, coordenadora do Mestrado em Ed. de Adultos e Desenvolvimento Local, do Mestrado em Ed. e Lazer e da pós-graduação em Bibliotecas e Animação da Leitura; Téc. Sup. da Direcção-Geral da Educação de Adultos; prof. no ISPA e da Licen. em Sociologia da Fac.de Econ. da Univ. de Coimbra membro do Cons. Cient. do IIE do Comissão do Ano Europeu da Ed. e Formação ao Longo da Vida, do Grupo para elaboração duma proposta de Estratégia para Educação de Adultos Foi Consultora Estudo Nacional de Literacia; Membro do Painel de Especialistas no Estudo Intern. sobre as Competências em Ed. Cívica dos Jovens Portugueses – IIE/IEA; fez parte da Comissão Nacional de Acompanhamento do Programa Nacional de Ensino do Português (PNEP). Foi  membro da Comissão de Acompanhamento do PIAAC (Programme for the International Assessment of Adult Competences). Pertence à CAE da A3ES do CE de Animação Sociocultural e à CAE de Educação Social.
Coordenou o estudo nacional “CNO: Uma Oportunidade Dupla: Da promoção da Literacia Familiar ao Sucesso Escolar das Crianças” (2009/2011) financiado pela Agência Nacional para a Qualificação. É Socia fundadora da ADIBER . Pertence ao Conselho Executivo da APCEP.

Dina Soeiro

Neta da Avó Carma, que não sabe as letras, mas sabe e ensina muito da vida. Com a filha Inês, aprende a ser melhor pessoa todos os dias e muito de tecnologia!
Mestre em Ciências de Educação, está a terminar o doutoramento em Ciências e Tecnologias da Informação e Comunicação, especialização em Educação, na FCTUC.
É investigadora do CISUC - Centre for Informatics and Systems of the University of Coimbra e Colaboradora do  CINEP - Centro de Inovação e Estudo da Pedagogia no Ensino Superior, IPC.
É docente da área de Psicologia e Ciências da Educação na Escola Superior de Educação de Coimbra. Esteve na criação da licenciatura em Gerontologia Social e mestrado em Gerontologia Social na ESEC. Neste leciona Gerontologia Educativa.  No Mestrado em Educação de Adultos e Desenvolvimento Local leciona Estratégias de Educação de Adultos.
Orienta estágios e projetos de intervenção com pessoas idosas nas licenciaturas em Animação Socioeducativa e Gerontologia Social.
Coordena o Letras Prá Vida, que é um projeto de intervenção comunitária que promove a literacia, o empoderamento e a inclusão social, através da dinamização de oficinas de alfabetização com pessoas adultas e aprende muito e é muito feliz a fazê-lo!

Maria José Sousa

Maria José Sousa detém um doutoramento em Gestão pela Universidade de Aveiro. É professora na Universidade Europeia e no IDEFE/ISEG – Universidade de Lisboa. Tem desenvolvido atividades nas áreas de Inovação, Gestão do Conhecimento e Gestão de Recursos Humanos e
tem participado em projetos de investigação nacionais e internacionais de Inovação e Gestão de Recursos Humanos. É membro integrado e membro da comissão científica do CIEO – Universidade do Algarve desde 2010 e é investigador associado da BRU-UNIDE ISCTE/IUL.
É também autora de vários best-sellers nas áreas das TI, Gestão de Pessoas e Metodologias de Investigação e é co-autor de mais de 50 artigos e capítulos de livros, tendo publicado em várias revistas científicas (por exemplo, I. J. of Knowledge, Culture and Change Management, Knowledge Management, I.J. of Systems and Service-Oriented Engineering, Wseas Transactions on Business and Economics and Information Systems Frontiers, entre outros). Organizou diversas conferências internacionais, e é Guest-Editor de vários Special Issues da Springer (Universal Access in the Information Society) e um da Elsevier (Journal of Business Research). É também External Expert da COST Association - European Cooperation in Science and Technology e Presidente da ISO/TC 260 – Human Resources Management.

Ana Maria Bettencourt
Presidente do Conselho Geral do Instituto Politécnico de Lisboa.
Foi Presidente do Conselho Nacional de Educação pela Assembleia da República.
Tem o doutoramento em Ciências da Educação na Universidade de Paris V – René Descartes – Sorbonne; Licenciatura em Psicologia na Universidade de Paris VIII. A sua carreira profissional, como técnica e como professora do ensino superior politécnico na Escola Superior de Educação de Setúbal foi, em grande parte, consagrada ao estudo, lançamento e acompanhamento de inovações educativas, à formação de professores e à política educativa, designadamente a problemáticas relacionadas com a melhoria das aprendizagens, a luta contra a exclusão educativa, a educação para a cidadania. Tem trabalhado em projetos de investigação-ação, designadamente em Territórios Educativos de Intervenção Prioritária. Dedicou grande parte da sua atividade à intervenção cívica e política, nomeadamente no domínio da educação, ensino superior e direitos das mulheres. Foi Deputada no Parlamento português e assessora do Presidente da República para a educação. Foi membro do Conselho do Bureau Internacional d’ Éducation – BIE, instituto da UNESCO para a área do currículo. Foi Presidente da União Internacional dos Professores Socialistas (UIPS), associada à Internacional Socialista (eleita em 1990 e reeleita em 1992, na Conferência do Rio de Janeiro). Colaborou em projetos sobre desenvolvimento educativo fora de Portugal, designadamente no Instituto Pedagógico de Cabo Verde (formação de professores); com o Centro Internacional do Movimento Operário Sueco e com a UNESCO, no Seminário sobre a “Formação de Professores para o Ensino de Novos Conteúdos”, realizado na Universidade de Brasília; Participou no Seminário sobre “A Educação Popular na Suécia e no Terceiro Mundo”, orientado por Paulo Freire. Autora de diversas publicações e artigos científicos sobre formação de professores, política educativa e inovações visando, designadamente, a melhoria das aprendizagens e resultados escolares.
 

 

Paula Guimarães

Professora Auxiliar do Instituto de Educação da Universidade de Lisboa desde 2012. De 1992 a 2011, trabalhou na Unidade de Educação de Adultos da Universidade do Minho onde estava ligada à investigação e à formação de educadores de adultos. É doutorada em Ciências da Educação, especialização em Política Educativa. Tem participado em diversos projetos de investigação, com financiamento nacional e internacional, nomeadamente da União Europeia. Tem publicado livros e artigos em revistas científicas sobre temáticas relacionadas com as políticas educativas, a educação de adultos e os educadores de adultos, entre outras. Pertence a diferentes organizações científicas.

 

 

 

Etelberto Costa

Engenheiro, consultor e formador. Autor da Rede Nacional Pt Learning Working Group. Membro do conselho estratégico da Futurália. Embaixador da plataforma europeia de educação de adultos(epale). Membro de Grupos de Trabalho Europeu para o Futuro da Aprendizagem e da ET 2020. Membro do conselho editorial da revista Pessoal e da Revista Aprender Magazine. Em novembro de 2014 editou o Livro Formação ou Aprendizagem: mudança de paradigma (co-autoria com Maria José Sousa).
 

 

 

 

Edição: